Aventureiros, me senti obrigado a compartilhar com todos uma experiência fantástica que passei nesse último sábado (30). Fui convidado para um one-shot (mesa rápida) de uma das minhas séries preferidas Arquivo X, foi uma grande felicidade participar da iniciativa RPG Urbano, jogamos essa temática no sistema do Novo Mundo das Trevas mestrado pela grande colega Raphael Xavier. Pra você que tá curioso sobre como foi a jogatina, adianto que foi bastante agridoce, tão engraçada quanto tenebrosa. Vou tentar contar, encham a caneca, sentem e ouçam, espero que gostem!

♪ Turuu ruru ruru…

 

Terça 21, 11:32 – Recebo uma chamada que vai direto pra secretária eletrônica, não noto som algum, estava ocupado, assistindo um campeonato de sumô na tv a cabo, “-as coisas parecer ser bem fáceis quando se tem uns 200Kg”, me levanto pra pegar um copo de água, vai dar meia noite eu preciso de um sonífero, andando pra cozinha passo pelo telefone que está gravando uma ligação, puxo rápido o telefone do gancho, tarde demais, rebobino a gravação e escuto desde o início. A voz era de um homem que falava perto do telefone, sempre que falava ‘P’ ou ‘F’ o telefone chiava com o sopro. A voz, ele, me dizia de uma reunião urgente numa galeria de esgotos, sob os pés da Grande Maçã, “-devo ter sido convocado pra fazer parte da versão nova das tartarugas ninjas”, mas curioso nem contesto, a insônia torna qualquer coisa interessante, “esgotos” pensei, “-hm, melhor levar uns anti-inflamatórios”.

Eu era Addam Scott um Parapsicólogo workaholic que buscava encontrar provas sobrenaturais da existência do mau, e ao longo dos anos devido a constante insônia e aos estudos em ocultismo me tornei viciado em medicamentos.

Quarta 22, 00:25 – A noite não parecia diferente do normal, mas não pelo fato de estar descendo as escadas enferrujadas e sujas do esgoto perto do centro da cidade, “antitetânico” logo penso. Alguns ratos, com seus demoníacos olhos brilhantes que assustavam mais do que a conta da tv à cabo com tantos pay-per-view que eu andava vendo. Caminho poucos e noto uma luz de alguma lâmpada logo a frente, também escuto vozes, me indago sobre a possibilidade de ser algum novo tipo de culto que trocou velas de parafina por lâmpadas fluorescentes, diminuo o passo, e me aproximo.

Esgueirado de um canto consigo observar um grupo de pessoas, três homens normais conversando entre si, “-parece que a festa tem mais convidados” penso enquanto me aproximo dos três, a reação de espanto deles ao me ver demonstra que todos estão tão perdidos quanto eu. Olho em volta da galeria de esgotos e tudo parece organizado, era uma sala espaçosa com paredes diferentes das da galeria, se não tivesse matado baratas desde a Av. Principal até agora não imaginaria que esta sala era num esgoto, cheio de monitores e equipamentos eletrônicos. Me volto novamente pros outros questiono se todos foram chamados aqui como eu tinha sido, e todos explicam a forma que foram contatados. Nos apresentamos, era Philip o nerd de computadores, Max o investigador particular, e Alex Johnson o cara famoso do talk-show das 8 da noite, logo que sabíamos o nome uns dos outros surge alguém vindo de um canto escuro logo ao lado daqueles micro-ondas cheios de luzes.

Ouvimos passos à frente, nos entreolhamos e antes de dizer algo escutamos “-boa noite a todos” de um sujeito que passava as mãos na barriga grande que apareceu na luz antes dele. Max, o cara do sobretudo, quase nem esperou a frase terminar e lançou “- quem é você e porque nos chamou aqui?”, então todos nós aguardamos a resposta. “Me chamo Jimmy Bond”, respondeu, agora totalmente iluminado pelas luzes dos monitores. Fiquei surpreso, o famoso jogador de futebol americano da década de 90 agora era um grande saco de gordura irreconhecível e ofegante. O cara nerd, Phil soltou ao vê-lo: “então você é o Batman?”. O gordo Jimmy prosseguia “-Chamei vocês porque confio em seus potenciais, suas habilidades, e seus interesses são bastante úteis numa causa maior do que as que estão, gostaria de contratar vocês para fazerem parte de uma equipe. Uma equipe seleta de pessoas que tratarão a verdade como sua única ambição e a trarão à tona para todos. Vocês já devem ter ouvido falar nos Pistoleiros Solitários, não?”

Não estava entendo merda nenhuma, um apresentador de talk-show, um detetive particular, um nerd, e um parapsicólogo, parecia tudo estranho, ainda bem que um ex-jogador de futebol justiceiro apareceu, isso me deixou bem mais tranquilo, nem preciso mais de relaxantes musculares por hoje.

O tal Jimmy Barriga explicou que precisava de uma equipe pra colocar de novo em circulação um impresso, que se chamava “Os Pistoleiro Solitários” que vazava várias informações do governo e teorias conspiratórias que nós mesmo descobriríamos a partir de agora. Questionou se todos estavam dispostos a entrar, todos pareciam empolgados eu mesmo vi uma porta pra pesquisar sobre meus próprios assuntos e ainda ganhar pra isso, ele nos contou sobre os três membros que faziam parte da antiga equipe, ficou emotivo e lagrimou, saquei meu porta pilulas e ofereci uma ele, que agradeceu e buscou um copo de água pra acompanhar. Ele se recuperou e contou que um dos antigos membros recebeu uma carta, vinda de um tio que morava no Arcansas, que havia falecido e solicitava a sua presença e da d’Os Pistoleiros na leitura do testamento, Jimmy disse que provavelmente tinha deixado uma gorda herança.

Quarta 22, 02:19 – Na saída cheguei perto do Jimmy e confessei, “aquela pilula era viagra, divirta-se”. Logo, estávamos a caminho do Arcansas, com um envelope dado pelo Jimmy.

Obrigado por ter lido, e continue aguardando a segunda parte!

Gostaria de agradecer ao Mestre Raphael Xavier, e aos parceiros de mesa Elvys, Emerson e Felipe que compartilharam boas risadas!

Gostou, saiba mais sobre Arquivo X: Wikipédia


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *